Mudança na tributação teria impacto de 15% em unidade de consumo da Hypermarcas

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014 18:41 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente da Hypermarcas, Claudio Bergamo, disse nesta segunda-feira que em caso de mudança de tributação no setor de cosméticos, 15 por cento da unidade de negócios de consumo da companhia seria impactada.

A atualmente, a área de consumo representa 35 por cento do faturamento da companhia, que também atua no setor farmacêutico.

"Não tem absolutamente nada concreto que eu possa vir aqui e reagir para vocês. Há muita especulação há muito tempo e nada concreto", disse o executivo em apresentação a analistas, acrescentando que não acredita em aprovação de qualquer projeto de lei no Congresso até o final do ano.

Nesta segunda-feira, o jornal Folha de S. Paulo noticiou que a nova equipe econômica estaria avaliando possível aumento da tributação sobre cosméticos, como mais uma medida a fim de reequilibrar as contas públicas.

O atual governo federal avalia desde pelo menos o início do ano elevar imposto de alguns setores, incluindo cosméticos e bebidas frias. No final de setembro, porém, o governo decidiu não elevar neste ano a carga tributária sobre bebidas frias, optando por propor um novo modelo de cobrança sobre o setor a ser apresentado no início de 2015.

(Por Juliana Schincariol)