Nippon Steel pede para CVM investigar Ternium em disputa no conselho da Usiminas

terça-feira, 2 de dezembro de 2014 17:36 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Nippon Steel afirmou nesta terça-feira que pediu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para investigar atos do grupo Ternium Techint envolvendo disputa no conselho de administração da Usiminas, maior produtora de aços planos do Brasil.

O pedido do grupo japonês, que divide com a Ternium Techint o controle da Usiminas, inclui membros do conselho de administração da siderúrgica indicados pelo grupo ítalo-argentino.

A Nippon Steel afirmou no comunicado enviado à imprensa que considera que "Ternium Techint não age em favor dos melhores interesses da Usiminas".

A rixa entre os dois grupos se tornou pública com a demissão no final de setembro do presidente-executivo da Usiminas, Julián Eguren, e de dois altos executivos indicados pela Ternium Techint.

A demissão dos executivos ocorreu após votação que terminou sendo desempatada pelo presidente do conselho da Usiminas, Paulo Penido, indicado pelo grupo Nippon, em 25 de setembro.

Representantes da CVM e da Ternium Techint não puderam comentar o assunto de imediato.

Desde a retirada dos executivos da diretoria da Usiminas, o grupo Ternium Techint tenta reverter a decisão do conselho de administração da empresa.

Porém, a Justiça de Minas Gerais já deu ganho de causa duas vezes ao grupo Nippon, que afirma que os executivos foram demitidos por recebimento de pagamentos da empresa que não teriam sido sujeitos à deliberação pelo conselho de administração da siderúrgica.

Os valores envolvidos seriam de cerca de 1 milhão de reais. Para a Ternium, a Nippon rompeu acordo de acionistas ao usar a situação para ganhar controle sobre a gestão da Usiminas.   Continuação...