BNDES eleva previsão de investimento de setor de energia elétrica para R$192 bi até 2018

terça-feira, 2 de dezembro de 2014 19:37 BRST
 

Por Luciana Bruno

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O setor elétrico brasileiro investirá 192,2 bilhões de reais entre 2015 e 2018, com a fonte hidrelétrica se mantendo como principal fonte da matriz energética do país, segundo perspectiva divulgada à Reuters nesta terça-feira pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

    A nova estimativa de investimentos representa leve aumento frente à projeção de 191,7 bilhões de reais feita em maio referente ao período de 2014 a 2017.

"O setor elétrico já está num grau de patamar de investimento estável nos últimos anos", disse Alexandre Siciliano, gerente do departamento de energia elétrica do BNDES.

    Do total a ser investido pelo setor até 2018, o destaque é a geração de energia elétrica, cujos investimentos foram estimados em 118,8 bilhões de reais, dos quais 56,3 bilhões são referentes a empreendimentos hidrelétricos, sendo mais da metade já contratados por leilões públicos.

    A estimativa tem por base os leilões de geração e transmissão de energia já realizados, assim como as indicações do planejamento realizado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) da expansão da geração e da transmissão de energia elétrica para o horizonte decenal. Segundo o banco de fomento, a projeção levou em conta investimentos cuja maturação ocorrerá até 2022.

    A segunda fonte de energia que vai mais investir no período é a eólica, com 35,5 bilhões de reais previstos segundo o levantamento do BNDES. Esse montante representa uma queda de 17,44 por cento frente aos 43 bilhões de reais previstos em maio para o período de 2014-2017.

    Apesar da baixa dos investimentos em relação à perspectiva anterior, o BNDES afirmou que a energia eólica vem se tornando competitiva. A previsão do banco é que em cinco anos essa matriz tenha cerca de 10 por cento de participação na matriz elétrica brasileira. Segundo a EPE, essa fatia estava em 1,7 por cento no fim de 2013.

    Já a energia solar foi pela primeira vez inserida na perspectiva de investimentos do setor elétrico, com 6,6 bilhões de reais até 2018. Isso ocorreu após o leilão de energia de reserva realizado em outubro e à inserção dessa fonte no Plano Decenal de Expansão (PDE) da EPE.   Continuação...