Isabel dos Santos quer papel chave em países de língua portuguesa com oferta por PT SGPS

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 11:06 BRST
 

LISBOA (Reuters) - A investidora angolana Isabel dos Santos lançou uma oferta pública de aquisição pela holding Portugal Telecom SGPS para se tornar uma importante acionista no grupo brasileiro Oi e aproveitar sinergias no setor de telecomunicações de países de língua portuguesa.

Dos Santos quer ligar a Portugal Telecom, a Oi e a empresa angolana de telecomunicações Unitel se tiver sucesso em sua oferta pela PT SGPS, que tem uma fatia de cerca de 26 por cento na Oi, disse Mario Silva, administrador da companhia Terra Peregrin nesta quinta-feira.

"Essa operadora líder no mundo de língua portuguesa aplicaria as melhores práticas e permitiria grandes sinergias", disse Mario Silva a jornalistas.

Dos Santos, filha do presidente de Angola e uma das pessoas mais ricas da África, é presidente-executiva da Unitel, maior empresa de telecomunicações de Angola. A oferta pela PT SGPS é feita via Terra Peregrin.

"A Terra Peregrin quer ser um acionista minoritário, não de controle, mas relevante de um grupo no Brasil, com participações noutras áreas (geográficas)", disse Silva aos jornalistas, referindo-se ao triângulo com vértices no Brasil, Portugal e Angola.

A oferta pela Portugal Telecom SGPS de 1,35 euro por papel só avançará se a Oi não vender as operações em Portugal da Portugal Telecom à Altice, que fez uma oferta de 7,4 bilhões de euros pelos ativos, disse Silva. Ele disse que o preço de oferta não será alterado.

Silva disse também que a Terra Peregrin conversou com acionistas na PT SGPS e da Oi sobre a proposta.

A venda das operações da Portugal Telecom pela Oi iria efetivamente dissolver uma fusão entre as duas companhias. Sob os termos da fusão, a Oi ganhou controle das operações de telecomunicações portuguesas enquanto a holding PT SGPS ficou com uma fatia de 26 por cento na Oi.

(Por Sergio Gonçalves)