Vale irá vender parte de projeto de carvão em Moçambique, dizem fontes

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 22:22 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A mineradora Vale deverá vender uma fatia de seu projeto de carvão Moatize, em Moçambique, para a trading de commodities japonesa Mitsui & Co, disseram duas fontes próximas ao tema.

Sob os termos da venda, a Mitsui irá comprar da Vale 15 por cento da mina por cerca de 450 milhões de dólares, afirmou uma das fontes.

A mesma fonte acrescentou que a trading japonesa terá uma participação de 50 por cento nos projetos ferroviário e portuário, sob condição de contribuir com os custos de investimento futuros.

A Vale, que tem sido afetada por uma dramática queda no preço do minério de ferro, sua principal fonte de lucro, afirmou há um ano que pretendia vender de 15 a 25 por cento de seus ativos de carvão, que estão espalhados entre Austrália e Moçambique.

Naquela época, analistas avaliaram as operações de carvão da companhia brasileira em cerca de 4 bilhões de dólares.

Moatize, uma das maiores minas de carvão metalúrgico do mundo, era considerada de longe o melhor ativo do portfólio da Vale.

Mas encontrar compradores no mercado não tem se mostrado uma tarefa fácil. Os preços do carvão estão recuando de forma constante há mais de três anos, enquanto que a demanda não tem sido capaz de acompanhar o ritmo do aumento da produção.

No mês passado, os contratos futuros europeus de carvão caíram para 69,60 dólares a tonelada, o nível mais baixo desde 2007.

A Mitsui não quis comentar o assunto. A Vale não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

(Reportagem de Sarah McFarlane e Silvia Antonioli, em Londres; com reportagem adicional de Stephen Eisenhammer, no Rio de Janeiro)