Fortes dados de emprego nos EUA colocam Fed sob os holofotes

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014 13:47 BRST
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos atingiu, em novembro, o maior número em quase três anos e os salários aumentaram, um sinal de força na economia que pode deixar o banco central mais perto de elevar a taxa de juros.

Foram criadas 321 mil vagas fora do setor agrícola no mês passado, maior número desde janeiro de 2012, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. A taxa de desemprego permaneceu na mínima de seis anos de 5,8 por cento.

"Acho que isso irá pressionar o Fed a elevar os juros no primeiro semestre do próximo ano..., talvez mesmo março", afirmou o economista-chefe do Vining Sparks Craig Dismuke.

Os dados de setembro e outubro foram revisados para mostrar 44 mil vagas a mais do que divulgado anteriormente. Economistas consultados pela Reuters esperavam criação de apenas 230 mil vagas.

O dólar saltou em relação ao euro para o maior nível desde agosto de 2012. O rendimento do Treasury de dois anos aumentou para o nível mais alto desde maio de 2011.

Novembro marca o 10º mês seguido em que a criação de vagas supera 200 mil, a mais longa série desde 1994, confirmando que a economia está enfrentando bem as desacelerações na China e na zona do euro, bem como a recessão no Japão.

Um relatório separado do Departamento do Comércio mostrou que as exportações subiram 1,2 por cento em outubro, ajudando a reduzir o déficit comercial. As exportações à União Europeia, China e Japão subiram.

Há sinais que o fortalecimento das condições do mercado de trabalho começam a provocar crescimento mais rápido dos salários, importante fator que determinará o momento da primeira alta de juro pelo Federal Reserve, banco central norte-americano.   Continuação...

 
Vista parcial da sede do Federal Reserve, em Washington. 28/10/2014. REUTERS/Gary Cameron