Petrobras projeta reduzir alavancagem a 35% até 2020

segunda-feira, 29 de junho de 2015 10:57 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras pretende reduzir seus indicadores de endividamento gradualmente até 2020, em meio a uma forte redução nos investimentos e desinvestimentos de dezenas de bilhões de dólares, informou a companhia nesta segunda-feira em seu Plano de Negócios para o período 2015-2019.

A companhia disse que projeta alavancagem líquida (relação entre o endividamento líquido e o endividamento líquido somado ao patrimônio líquido) inferior a 40 por cento até 2018 e a 35 por cento até 2020, ante 52 por cento ao fim do primeiro trimestre.

A relação entre endividamento líquido e Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) deverá cair para 3 vezes até 2018 e para 2,5 vezes até 2020, afirmou a estatal, que registrou índice de 3,86 vezes no fim de março de 2015.

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que planeja investir 130,3 bilhões de dólares entre 2015 e 2019, uma queda de cerca de 40 por cento em relação ao Plano de Negócios e Gestão 2014-2018.

A estatal informou ainda que pretende vender ativos neste e no próximo ano totalizando 15,1 bilhões de dólares. Para 2017 e 2018, o novo plano prevê um total de 42,6 bilhões de dólares com "esforços em reestruturação de negócios, desmobilização de ativos e desinvestimentos adicionais".

(Por Gustavo Bonato)