Usiminas fechará sede às sexta-feiras para reduzir custos

segunda-feira, 29 de junho de 2015 19:20 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A sede da Usiminas em Belo Horizonte (MG) não funcionará às sexta-feiras a partir de 3 de julho durante três meses, período que pode ser prorrogado.

A medida visa adequar os custos de pessoal e a melhoria da competitividade da Usiminas no atual cenário de mercado, disse a empresa, em comunicado.

Em maio, a siderúrgica informou que iria abrir negociação com sindicatos para reduzir a jornada, com objetivo de preservar postos de trabalho e após decisão de desligar dois alto-fornos.

A sede em Belo Horizonte tem cerca de 500 empregados que trabalharão de segunda a quinta-feira, segundo informações da assessoria de imprensa da Usiminas.

As vendas de aço bruto no mercado interno em maio foram de 1,527 milhão de toneladas, recuo de 22,2 por cento na comparação anual, segundo o Instituto Aço Brasil (IABr). A produção brasileira no período somou 2,982 milhões de toneladas, crescimento de 3,1 por cento sobre um ano antes.

Na semana passada, os empregados administrativos do escritório da Usiminas e Usiminas Mecânica na capital mineira aprovaram em assembleia a proposta de redução da jornada em um dia útil por semana, com redução proporcional do salário.

No acordo, a Usiminas propôs garantia de emprego de no mínimo 95 por cento dos empregados administrativos durante a vigência da medida. A empresa não informou se houve demissões.

A Usiminas disse que segue aberta a negociações com sindicatos nas usinas de Ipatinga e Cubatão - onde os alto-fornos foram desligados.

(Por Juliana Schincariol)