Alta executiva da Toyota renuncia após ser presa devido a analgésico no Japão

quarta-feira, 1 de julho de 2015 15:35 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - A Toyota disse nesta quarta-feira que Julie Hamp, sua primeira alta executiva, renunciou após ter sido presa no mês passado por suspeita de importação ilegal do analgésico oxycodone no Japão.

Hamp, cidadã dos EUA, deixa a Toyota cerca de um mês após ter se mudado para Tóquio para ser executiva de comunicação da montadora japonesa. Sua nomeação foi parte de um esforço da empresa de diversificar um comando bastante masculino.

Em comunicado, a Toyota disse que aceitou a renúncia de Hamp após considerar preocupações e inconvenientes que os acontecimentos causaram.

Hamp foi presa em 18 de junho, após autoridades aduaneiras encontrarem comprimidos de oxicodona em um pacote enviado a ela dos Estados Unidos. Hamp disse que não achava ter importado uma substância ilegal, de acordo com a polícia.

Hamp, que segue sob custódia da polícia, ainda tem de ser processada e, sob a lei japonesa, pode seguir detida por até 20 dias após a prisão. Esse prazo termina em 8 de julho.

Oxycodone é um medicamento de prescrição nos EUA e no Japão. Levá-lo ao Japão exige a aprovação prévia do governo.

(Reportagem de Minami Funakoshi e Chris Gallagher)