July 3, 2015 / 9:44 PM / 2 years ago

Petrobras analisará a cada 3 meses viabilidade do plano de negócios, dizem fontes

3 Min, DE LEITURA

Policial em frente à sede da Petrobras durante protesto no Rio de Janeiro. 4/3/2015.Sergio Moraes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras deverá realizar a cada três meses análises sobre o atual plano de negócios, com o objetivo de avaliar premissas e riscos e para evitar que investidores se frustrem pelo eventual não cumprimento das metas, como vem acontecendo nos últimos anos, disseram duas fontes com conhecimento direto do assunto nesta sexta-feira.

A medida atende a um pedido dos membros do Conselho de Administração feito na reunião que aprovou o plano de negócios 2015-2019, em 26 de junho.

"O plano de negócios é muito importante para a empresa, então o Conselho quer estar bem atualizado sobre como ele está sendo levado, se tem alguma modificação que precisa ser feita", afirmou à Reuters a primeira fonte, na condição de anonimato.

A fonte destacou que mesmo que a empresa faça tudo como o planejado, o cenário pode mudar.

"Tem coisas que estão sob nosso controle e outras que não estão", afirmou a fonte. "Eu acho que isso era o que todo mundo queria, que o Conselho fosse participativo, se envolvesse bastante, e é isso que está acontecendo."

Uma reunião extraordinária do Conselho foi realizada já na quinta-feira, 2 de julho. Nesse encontro, a pedido dos conselheiros, foram apresentadas análises mais profundas sobre a viabilidade da atual curva de produção e do cronograma de obras de plataformas. Também foram avaliados os cenários apresentados pela Petrobras para os preços do petróleo tipo Brent e para o dólar.

"O plano foi aprovado na sexta (26 de junho), mas ficaram esses esclarecimentos para serem apresentados", disse a segunda fonte, também pedindo para não ser identificada.

"Essas análises serão feitas agora de três em três meses para que haja a possibilidade ou não de o plano ser revisado."

A Petrobras, no centro do escândalo de corrupção investigado pela operação Lava Jato, planeja investir 130,3 bilhões de dólares de 2015 a 2019, uma queda de cerca de 40 por cento em relação ao plano anterior, prevendo também a venda de dezenas de bilhões de dólares em ativos e uma considerável desaceleração do aumento da produção de petróleo no Brasil.

Estrutura Organizacional

Para a próxima reunião do Conselho, marcada para 24 de julho, os conselheiros têm a expectativa de que novas discussões sobre mudanças na estrutura organizacional sejam apresentadas. A pauta da reunião ainda não foi distribuída.

A extinção de algumas diretorias da Petrobras é uma das possibilidades, mas segundo as duas fontes ouvidas pela Reuters nada está definido.

Conversas preliminares sobre o tema fizeram parte da reunião de 26 de junho, conforme declarou o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, em coletiva de imprensa no início desta semana.

"Essa é uma questão que ainda não está resolvida", afirmou a segunda fonte. "Muitas questões que têm que ser pensadas, estruturadas. É um processo que tem que ter feito detalhadamente, está só começando a discussão, na verdade", completou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below