Líder de entidade bancária da Grécia diz que notícia de confisco de depósitos é infundada

sexta-feira, 3 de julho de 2015 19:33 BRT
 

ATENAS (Reuters) - O Financial Times informou nesta sexta-feira que os bancos gregos estavam preparando planos de contingência para um possível confisco de depósitos em meio a receios de colapso financeiro, relato classificado como "completamente infundado" pela associação de bancos do país.

A reportagem veio dois dias antes de um referendo no qual os gregos vão aceitar ou rejeitar os duros termos de um acordo de ajuda com credores internacionais, uma votação com o potencial de decidir o futuro do país na zona do euro.

Líderes gregos rejeitaram repetidamente a chance de confisco dos correntistas para evitar um colapso do sistema bancário.

Mas, citando representantes de bancos e executivos com conhecimento das medidas, o Financial Times reportou: "Os planos, que pedem por um confisco de pelo menos 30 por cento nos depósitos acima de 8 mil euros, esboçam um cenário provável crescente para pelo menos um banco".

A matéria citou uma fonte dizendo: "(O confisco) aconteceria no contexto de uma reestruturação geral do setor bancário, uma vez que a Grécia esteja de volta ao programa de resgate".

A líder do entidade bancária da Grécia, Louka Katseli, negou a reportagem, classificando-a como "completamente infundada".

Louka Katseli, que também preside o Banco Nacional da Grécia, disse à Skai TV que insinuações de que autoridades estavam planejando um confisco de depósitos pertencia "somente à esfera da fantasia". "Não há esse tipo de cenário em nenhum banco grego, nem mesmo como um exercício no papel".

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, também classificou a reportagem como "rumor malicioso"

Varoufakis fez o comentário em sua conta no Tweeter.

(Por Michele Kambas e George Georgiopoulos)