Cristina Kirchner comemora "não" da Grécia aos credores

segunda-feira, 6 de julho de 2015 09:18 BRT
 

Por Hugh Bronstein

BUENOS AIRES (Reuters) - Os mercados internacionais podem tremer pela decisão dos eleitores gregos de rejeitar as condições de um acordo de resgate proposto pelos credores, mas a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, cujo país enfrentou crise similar há mais de uma década, elogiou o resultado do referendo.

Cristina, reconhecida por defender de forma combativa suas políticas não ortodoxas, tuitou que a votação na Grécia marca "uma vitória ressonante para a democracia e a dignidade".

Há similaridades marcadas entre a crise financeira de 2002 da Argentina e os atuais problemas da Grécia: regimes monetários rígidos, credores contestando as políticas nacionais para corrigir o problema e sistemas bancários à beira da falência.

Na Grécia, 61 por cento dos eleitores rejeitaram o acordo que aumentaria a austeridade imposta sobre a economia já devastada do país.

"O povo grego disse 'NÃO'... às condições impossíveis e humilhantes que seriam impostas para reestruturar a sua dívida", tuitou Cristina. "Nós argentinos sabemos do que se trata. Esperamos que a Europa e seus líderes entendam a mensagem... que você não pode forçar ninguém a assinar sua própria certidão de óbito."

A Argentina deu calote em títulos de 100 bilhões de dólares na crise de 2012, que levou à pobreza milhões de argentinos de classe média. Mas no ano seguinte, ajudada por uma enorme safra de soja, a Argentina começou a crescer novamente.

 
Presidente da Argentina, Cristina Kirchner, durante evento em Buenos Aires.   13/02/2015   REUTERS/Enrique Marcarian