Ministro das Finanças grego renuncia para favorecer negociações após sonoro "não"

segunda-feira, 6 de julho de 2015 14:30 BRT
 

Por Lefteris Papadimas e John O'Donnell

ATENAS/FRANKFURT (Reuters) - O combativo ministro das Finanças da Grécia renunciou nesta segunda-feira, removendo um importante obstáculo a qualquer acordo para manter Atenas na zona do euro após os gregos terem votado em apoio ao governo na rejeição dos termos de austeridade do resgate.

O primeiro-ministro, Alexis Tsipras, prometeu à chanceler alemã, Angela Merkel, que a Grécia vai levar uma proposta para um acordo de reformas em troca de dinheiro à cúpula de emergência de líderes da zona do euro na terça-feira, afirmou uma autoridade grega. Não ficou claro quanto ela vai diferir de outras propostas rejeitadas no passado.

Autoridades em Bruxelas e Berlim disseram que uma saída da Grécia da zona do euro parece agora ainda mais provável.

Mas elas também afirmaram que as conversas para evitar isso serão mais fáceis sem Yanis Varoufakis, um economista que se declara "marxista errático" e que enfureceu os parceiros da zona do euro com o seu estilo pouco convencional e afirmações intimidadoras. Ele fez campanha pelo "não" no referendo de domingo, acusando os credores da Grécia de "terrorismo".

"Eu fui alertado de uma certa 'preferência' por parte de alguns participantes do Eurogrupo, e vários parceiros, pela minha... 'ausência' de suas reuniões; uma ideia que o primeiro-ministro considerou potencialmente útil para chegar a um acordo", disse Varoufakis em comunicado.

O sacrifício dele indica que o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, de esquerda, está determinado a tentar chegar a um compromisso de última hora com os líderes europeus.

Os líderes políticos da Grécia, mais acostumados a gritarem uns com os outros no Parlamento, emitiram um comunicado conjunto sem precedentes após um dia de conversas no gabinete do presidente dando apoio a esforços para alcançar um acordo com credores.

Eles pediram medidas imediatas para reabrir bancos e disseram que qualquer acordo tem que lidar com a sustentabilidade da dívida --código para reduzir a dívida da Grécia-- mas não deram indicações de concessões do lado grego em relação às exigências dos credores para mais cortes de gastos e reformas de aposentadorias e mercado de trabalho.   Continuação...

 
Euclid Tsakalotos, nomeado novo ministro das Finanças da Grécia, pega carona com Yanis Varoufakis (de capacete), que renunciou ao cargo nesta segunda-feira. 03/04/2015  REUTERS/Alkis Konstantinidis