Bovespa renova mínima em cerca de 3 meses pressionado por commodities e Grécia

segunda-feira, 6 de julho de 2015 20:28 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou o primeiro pregão da semana em queda e com o seu principal índice na mínima desde o final de março, com os negócios pressionados pelo declínio dos preços de commodities e dúvidas sobre potenciais desdobramentos da negativa grega aos termos de um novo resgate financeiro ao país.

O Ibovespa caiu 0,7 por cento, a 52.149 pontos, menor patamar desde 31 de março. A primeira etapa da sessão foi volátil, com o índice variando entre alta de 0,3 por cento e queda de 1,59 por cento, a 51.682 pontos. O volume financeiro do pregão somou 5,38 bilhões de reais.

No domingo, um referendo realizado na Grécia obteve uma surpreendente vitória do "não" para as propostas de credores internacionais do país, adicionando volatilidade nos mercados ao redor do mundo.

França e da Alemanha disseram nesta segunda-feira que a porta segue aberta para negociações, mas pediram que Atenas faça propostas rapidamente. Líderes europeus reúnem-se na terça-feira para discutir a questão.

Em nota a clientes, a gestora de recursos Icatu Vanguarda avaliou que os mercados mantiveram um viés de "aversão a risco ordenada" ao longo de toda a segunda-feira.

"Ao que tudo indica, ainda parece haver esperanças, por parte do mercado, de que um acordo entre a Grécia e seus credores possa ser atingido nos próximos dias", poderando, contudo, que incertezas seguirão elevadas nos próximos dias.

DESTAQUES   Continuação...