Bolívia terá aportes de mais de US$12 bi em óleo e gás até 2019, diz YPFB

terça-feira, 7 de julho de 2015 13:36 BRT
 

LA PAZ (Reuters) - A petroleira estatal boliviana YPFB e as empresas estrangeiras que operam na Bolívia vão investir 12,169 bilhões de dólares no setor de óleo e gás do país entre 2015 e 2019, afirmou o presidente da empresa, Guillermo Acha, em entrevista à Reuters.

A maior parte deste investimento será paga pela YPFB e será destinada principalmente à exploração e desenvolvimento em um momento em que os analistas do setor dizem que as reservas de gás da Bolívia começam a declinar, prejudicando contratos de fornecimento importantes com o Brasil e a Argentina.

Acha disse que o investimento total no setor na próxima década será superior a 30 bilhões de dólares, um recorde para o país empobrecido, que nos últimos anos tem surpreendido o mundo ao comandar o crescimento da América Latina com disciplina fiscal elogiada por organizações.

"Nos traz satisfação que possamos repor a quantidade de reservas que consumimos e, além disso, também em um período de 10 anos, entre 2015 e 2025, vamos aumentar em 30 TCF (trilhão de pés cúbicos) nossas reservas", afirmou o executivo, de 33 anos.

Além disso, Acha revelou que fechou 15 novos contratos de exploração no país, onde participam multinacionais como a brasileira Petrobras (PETR4.SA: Cotações), a russa Gazprom (GAZP.MM: Cotações), a francesa Total (TOTF.PA: Cotações), a britânica BG Group BG.L, a espanhola Repsol (REP.MC: Cotações) e a Argentina YPF (YPFD.BA: Cotações).

(Reportagem de Daniel Ramos e Diego Ore)