Rio Tinto mira América do Norte e Ásia-Pacífico após reformulação de usina de alumínio

quarta-feira, 8 de julho de 2015 12:39 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - A Rio Tinto disse nessa quarta-feira estar procurando elevar sua participação no mercado norte-americano e no mercado da região da Ásia-Pacífico após reformular sua planta de fundição de alumínio no Canadá para aumentar a capacidade de produção de metal em aproximadamente 50 por cento.

O aumento da produção de alumínio primário na fundição para o patamar de 420 mil toneladas por ano pode levar a uma entrada em mercados também supridos pela concorrente Alcoa e outros produtores, aumentando a disputa acompanhada de um momento de rendimentos menores, ocasionados por preços baixos e o aumento de exportações provenientes da China.

Os preços fracos prejudicaram especialmente as empresas de alumínio puro, como a Alcoa, que divulgará os resultados do segundo trimestre ainda hoje.

A Rusal, maior produtora russa, disse em abril que poderia abrir mão de 200 mil toneladas de capacidade de produção, enquanto a Alcoa disse mês passado que estava revendo 500 mil toneladas de sua capacidade de fundição.

Semana passada a Alcoa declarou que poderia fechar permanentemente a planta em Poço de Caldas em Minas Gerais.

(Por James Regan)