Dilma reconhece momento “extremamente duro”, mas aposta em rápida recuperação da economia

quinta-feira, 9 de julho de 2015 19:30 BRT
 

(Reuters) - A presidente Dilma Rousseff reconheceu nesta quinta-feira que a economia do país passa por um momento “extremamente duro”, mas disse apostar em uma recuperação rápida do crescimento.

Segundo a presidente, a preocupação “é tanta” que o governo editou nesta semana o Programa de Proteção ao Emprego, uma medida que prevê a redução de salários e carga horária de trabalho em troca da manutenção do vínculo empregatício.

“Nós, de fato, estamos passando por um momento extremamente duro”, disse a presidente a jornalistas na Rússia, onde participou de reunião de cúpula dos países membros do Brics.

“A gente acha, que o Brasil tem, estruturalmente, fundamentos para se recuperar rápido. Não é só uma questão de eu achar ou não. Nós apostamos nisso, não porque temos uma visão rósea da situação, não temos não”, afirmou.

Dilma argumentou que a inflação do país tem sido pressionada por questões conjunturais, e não estruturais, sendo resultado do reajuste de preços relativos e também da desvalorização cambial.

“Ninguém no mundo faz ou sofre uma desvalorização cambial como nós sofremos sem efeitos inflacionários. Agora, ela não tem, não se espera que essa desvalorização cambial continue sistematicamente. Ela vai diminuir de intensidade”, disse.

A presidente fez as declarações no mesmo dia em que o Fundo Monetário Internacional (FMI) piorou sua projeção para a economia do Brasil, passando a ver uma contração de 1,5 por cento este ano, ante recuo de 1,0 por cento antes.

"GOLPISMO"   Continuação...

 
Presidente Dilma Rousseff. 01/07/2015 REUTERS/Stephen Lam