Ex-executivos da Tencent são presos na China em investigação sobre corrupção

sexta-feira, 10 de julho de 2015 08:33 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - As autoridades chinesas detiveram cerca de meia dezena de ex-funcionários da Tencent Holdings, maior empresa de redes sociais e mídia online do país, por suposta corrupção e suborno, bem como um atual executivo do Alibaba Group Holding Ltd, disseram as duas empresas.

Em continuidade à repressão à corrupção promovida pelo presidente chinês Xi Jinping, a Tencent disse em comunicado que "cinco ou seis" pessoas foram detidas.

"Uma investigação interna levou luz à propina e corrupção entre alguns funcionários de vídeo online. A polícia foi notificada e estamos esperando os resultados", disse a Tencent.

Um porta-voz da rival Alibaba disse em nota separada na noite de quinta-feira que Patrick Liu, presidente da unidade de entretenimento da gigante do comércio eletrônico e

ex-chefe da Tencent Video, também foi levado em custódia.

"Entendemos que Patrick Liu, da nossa unidade de entretenimento digital, foi detido pelas autoridades. Essa questão está relacionada a seu tempo na Tencent e não tem nada a ver com o Alibaba", disse o porta-voz do Alibaba Bob Christie em e-mail.

As ações anticorrupção na China levaram autoridades de vários níveis do governo, assim como executivos de companhias -- muitas estatais -- a serem detidas.

(Por Arathy S Nair em Bangalore e Paul Carsten em Pequim)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7500))