Ministério alemão sugere saída temporária da Grécia da zona do euro

sábado, 11 de julho de 2015 18:51 BRT
 

Por Tom Körkemeier e Andreas Rinke

BRUXELAS (Reuters) - Autoridades do Ministério das Finanças da Alemanha argumentaram que a Grécia poderia sair da zona do euro por cinco anos e ter algumas de suas dívidas reduzidas caso Atenas não consiga aperfeiçoar as propostas feitas para obter um resgate.

Em um documento escrito para analisar as reformas do governo grego apresentadas como condições ao empréstimo de três anos, os membros do ministério alemão disseram que o plano não aborda "soberanas e importantes áreas de reforma" e escreveram: "Nós precisamos de uma solução melhor e mais sustentável".

O documento, lido pela Reuters e reportado inicialmente pelo jornal alemão Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, oferece "dois caminhos": ou estabelecendo condições duras que amarrem o governo grego às suas promessas ou sugerindo uma saída temporária da zona do euro. 

O ministro de Finanças alemão Wolfgang Schaeuble disse a seus pares da zona do euro em uma reunião de crise neste sábado que o primeiro-ministro grego Alexis Tsipras teria que fazer mais para convencer Berlim a abrir negociações para um novo empréstimo, mas várias fontes próximas ao assunto disseram que Schaeuble não trouxe à mesa a opção de saída da Grécia da zona do euro.

O documento do ministério citou três coisas que a Grécia poderia fazer para melhorar sua oferta "rápida e significativamente" com o suporte do parlamento: 

Colocar empresas e outros ativos para serem privatizados em um fundo independente criado especialmente para vendê-los e usar os recursos para pagar a dívida pública nacional. Autoridades da zona do euro disseram que Schaeuble colocou esta ideia em pauta no encontro deste sábado.

Reformar a administração pública sob a supervisão da Comissão Europeia.

Legislar a favor de cortes automáticos nos gastos do governo caso as metas do déficit orçamentário não sejam atingidas.   Continuação...