Governo amplia teto do crédito consignado para 35% da renda

segunda-feira, 13 de julho de 2015 12:04 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal editou Medida Provisória que amplia o teto do comprometimento da renda do trabalhador com crédito consignado de 30 para 35 por cento, de acordo com publicação nesta segunda-feira no Diário Oficial da União.

Segundo a MP, os empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) poderão a partir agora autorizar desconto em folha de valores referentes ao pagamento de cartão de crédito, além dos empréstimos, financiamentos e operações de arrendamento mercantil.

Do total do limite de 35 por cento de descontos na folha, 5 por cento serão destinados exclusivamente para a amortização de despesas contraídas por cartão de crédito.

De acordo com a MP, o empregador poderá, com a anuência de entidade sindical representativa, firmar acordo com instituições financeiras que defina condições gerais e demais critérios nas operações de empréstimo que venham a ser realizadas com seus funcionários.

No fim de maio, a presidente Dilma Rousseff havia vetado proposta inicial de aumento do limite de crédito com desconto em folha para 40 por cento alegando que a alta poderia acarretar comprometimento da renda das famílias para além do desejável.

O BTG Pactual disse em nota a clientes que a medida publicada nesta segunda-feira libera margem de consignação dos tomadores e deve permitir uma aceleração desta linha de crédito no resultado das instituições financeiras no terceiro trimestre.

"Isso deve ajudar no curto prazo o crescimento de crédito dos bancos. Essa é uma das poucas linhas que os bancos privados, principalmente, estão dispostos a crescer; portanto, notícia marginalmente positiva", disse o BTG.

A MP entra em vigor nesta segunda-feira. Para ver a íntegra da MP, clique em here

(Por Luciana Bruno, com reportagem adicional de Paula Arend Laier)