13 de Julho de 2015 / às 18:18 / 2 anos atrás

Via Varejo intensifica reformulação da Casas Bahia para impulsionar vendas

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de móveis e eletroeletrônicos Via Varejo decidiu ampliar seu projeto de reformulação das lojas Casas Bahia para dar impulso à venda de móveis, produtos de maior margem que podem melhorar os resultados da companhia em um momento de forte queda das receitas.

Em novembro, a Via Varejo lançou um projeto-piloto na Casas Bahia que recriava nas lojas ambientes domésticos decorados com o objetivo de atingir clientes que passaram a ter maior interesse em decoração. Os ambientes decorados também favorecem a aquisição de um número maior de itens combinados.

“Percebemos que as vendas nas lojas que adotaram o projeto cresceram 20 pontos percentuais na comparação com as demais, enquanto a participação dos móveis nas vendas totais subiu cinco pontos percentuais nessas lojas”, disse à Reuters o diretor de móveis da Via Varejo, André Caio, referindo-se ao período de novembro de 2014 a janeiro deste ano.

Diante disso, a companhia controlada pelo Grupo Pão de Açúcar (GPA) decidiu estender a estratégia antes restrita a sete unidades para toda a rede Casas Bahia. Até agora, 59 lojas da Casas Bahia de um total de 683 no país adotaram o novo conceito, que também está começando a ser usado em algumas lojas de outra marca do grupo, o Ponto Frio.

A empresa não informou o montante a ser investido na reformulação, mas explicou que o projeto não está incluído no anunciado plano de investimentos de 324 milhões de reais de 2015, que deve ser revisado para cima. No ano passado, a Via Varejo investiu 604 milhões de reais.

A mudança ocorre em um momento de forte queda das vendas da Via Varejo. Nesta terça-feira, o GPA anunciou que a Via Varejo teve baixa de 21,7 por cento no faturamento do segundo trimestre na comparação anual, para 4,32 bilhões de reais. No conceito “mesmas lojas”, que considera apenas unidades abertas há pelo menos um ano, as vendas recuaram 23,5 por cento.

Os resultados foram afetados pelo recuo de 56,6 por cento das vendas de televisores, efeito de uma base de comparação maior uma vez que a venda de TVs subiu fortemente durante a Copa do Mundo de futebol no ano passado.

Segundo o executivo da Via Varejo, as vendas de móveis representam atualmente cerca de 20 por cento das receitas totais da Casas Bahia, mas a tendência é que com a nova estratégia essa participação aumente.

Os móveis têm maior margem de lucro, uma vez que a empresa conta com produção própria de algumas linhas e os insumos não são importados, como é o caso dos eletroeletrônicos.

Na Via Varejo, quase 80 por cento das receitas vêm da Casas Bahia.

A queda nas vendas da empresa ocorre em um cenário de desaceleração do comércio varejista como um todo. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas varejistas caíram 3,5 por cento em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado.

O resultado foi o mais fraco para um mês de abril desde 2003, quando as vendas no varejo também caíram 3,7 por cento em base anual. Segundo o IBGE, o comércio reflete a dificuldade da economia, os preços altos e renda menor do consumidor.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below