Petrobras e NY amparam 3ª alta da Bovespa; Gerdau desaba para mínima em 10 anos

terça-feira, 14 de julho de 2015 18:20 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice em alta pelo terceiro pregão seguido nesta terça-feira, acompanhando o viés ascendente em Wall Street e tendo a Petrobras como principal suporte, enquanto as ações da Gerdau despencaram após a siderúrgica anunciar uma reorganização de ativos.

O Ibovespa subiu 0,23 por cento, a 53.239 pontos, revertendo as perdas da primeira etapa da sessão, quando chegou a recuar 0,88 por cento. O volume financeiro do pregão ficou novamente abaixo da média do ano, a 5,17 bilhões de reais.

O índice acionário norte-americano S&P 500 avançou 0,45 por cento, guiado por papéis de energia conforme o petróleo firmou-se no azul.

O giro financeiro novamente reduzido, contudo, revela cautela ainda com o mercado acionário doméstico, e o quadro fiscal está entre as principais fontes de apreensão dos investidores.

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse nesta terça-feira que há discussão no governo sobre a fixação de uma banda para a meta de superávit primário, em meio a cenário de dificuldade de cumprimento do alvo fiscal.

A agência de classificação de risco Moody's começa na quarta-feira visita ao país, e agentes financeiros estão atentos à possibilidade de corte na nota brasileira em um degrau, para "Baa3", última classificação dentro do grau de investimento.

As perspectivas relacionadas ao crescimento pouco favorecem o ânimo. O IBGE divulgou nesta terça-feira que as vendas no varejo caíram 0,9 por cento em maio ante abril, pior desempenho em 14 anos para o mês e muito aquém do esperado.

  Continuação...