Yellen afirma que economia está nos trilhos e defende "transparência" do Fed

quarta-feira, 15 de julho de 2015 10:40 BRT
 

Por Howard Schneider e Michael Flaherty

WASHINGTON (Reuters) - A chair do Federal Reserve, Janet Yellen, disse nesta quarta-feira que o banco central norte-americano continua na trajetória para elevar a taxa de juros neste ano, com a expectativa de que os mercados de trabalho melhorem firmemente e que as turbulências externas não devem tirar a economia dos Estados Unidos dos trilhos.

"Se a economia evoluir como esperamos, as condições econômicas provavelmente tornarão apropriado em algum momento deste ano elevar a taxa de juros", disse Yellen em depoimento preparado para o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados norte-americana, afirmando a visão de um banco central preparado para começar a elevar gradualmente os juros depois de mais de seis anos da taxa próxima a zero.

Os mercados de trabalho ainda "não estão consistentes com pleno emprego", disse ela. "A Grécia permanece difícil. E a China continua a enfrentar desafios impostos pela dívida elevada, mercados imobiliários fracos e condições financeiras voláteis".

Ainda assim, "olhando para a frente, as perspectivas são favoráveis para mais melhorias no mercado de trabalho dos EUA e a economia de maneira mais ampla".

O depoimento escrito de Yellen ao comitê será seguido por uma audiência nesta quarta-feira. O depoimento em grande parte segue suas recentes declarações públicas, como também o comunicado mais recente de política monetária do comitê de decisão do Fed.

Yellen, no entanto, incluiu uma defesa explícita da "transparência e responsabilidade" do Fed, detalhando o fluxo de informações do banco central aos mercados financeiros e seus cronogramas de entrevistas à imprensa e auditorias como prova de que não precisa de mais supervisão do Congresso.

Ela provavelmente será questionada sobre esse ponto por membros do comitê da Câmara, dominada por Republicanos. Os membros da Câmara criticaram o Fed na audiência anterior de Yellen em fevereiro. Nos meses seguintes, alguns parlamentares expressaram frustração acerca do fato de que o Fed não liberou todo o material que o Congresso pediu como parte da investigação sobre o possível vazamento de informações do banco central para uma empresa de consultoria econômica em 2012.

Yellen disse que o Fed recusouse-a enviar as informações pois um inquérito separado do Departamento de Justiça está em andamento.

 
Janet Yellen, chair do Federal Reserve, em foto de arquivo. 17/06/2015 REUTERS/Carlos Barria