Yellen defende transparência do Fed enquanto parlamentares aumentam pressão

quarta-feira, 15 de julho de 2015 14:21 BRT
 

Por Howard Schneider e Michael Flaherty

WASHINGTON (Reuters) - A chair do Federal Reserve, Janet Yellen, resistiu nesta quarta-feira a pedidos por mais intervenção e supervisão parlamentar no banco central dos Estados Unidos, enquanto membros de um painel da Câmara dos Deputados dos EUA criticavam a falta de prestação de contas dela e de outras autoridades.

Um parlamentar republicano também continuou seu ataque acerca da resposta do Fed a um vazamento de informações em 2012, dizendo que Yellen e o banco central falharam em responder de maneira apropriada.

Em seu depoimento semianual ao Congresso, Yellen detalhou o fluxo de informações do Fed aos mercados financeiros e seus cronogramas de entrevistas à imprensa e auditorias como prova de que o banco central pratica um alto nível de transparência.

Yellen resistiu a pedidos dos parlamentares para seguir uma regra única de política monetária em vez de usar seu próprio critério.

"Acredito que precisamos de uma política sistemática. Mas resistirei fortemente a concordar em seguir qualquer regra na qual a postura de política monetária depende apenas das leituras atuais de duas variáveis econômicas, que é do que sua regra de referência depende", afirmou Yellen.

O deputado Sean Duffy, do partido republicano por Winsconsin, não mediu palavras durante o depoimento de Yellen, acusando o Fed de deliberadamente varrer para baixo do tapete uma investigação sobre o vazamento em 2012 de informações sensíveis ao mercado para um boletim financeiro privado.

O deputado pelo Texas Jeb Hensarling, presidente republicano do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados, exigiu que o Fed seja mais previsível e implorou que coopere com a investigação.

"O Fed não está acima da lei", disse Hensarling durante suas falas iniciais.   Continuação...