Europa age para restabelecer financiamento à Grécia após votação de resgate

quinta-feira, 16 de julho de 2015 21:52 BRT
 

Por Lefteris Karagiannopoulos e George Georgiopoulos

ATENAS (Reuters) - A Europa agiu para reabrir um financiamento à assolada economia da Grécia nesta quinta-feira, após o Parlamento grego aprovar um novo programa de resgate em votação dividida que deixou o governo sem maioria.

O Banco Central Europeu (BCE) elevou o financiamento emergencial aos bancos gregos, apesar de que os controles de capital vão precisar permanecer em vigor para evitar uma corrida aos bancos quando reabrirem na segunda-feira.

Os ministros das Finanças da União Europeia também aprovaram 7 bilhões de euros em empréstimo-ponte para manter a Grécia operando, permitindo que o país realize o pagamento ao BCE na próxima segunda-feira e liberando sua dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Os empréstimos serão finalizados na sexta-feira desde que o Parlamento alemão aprove o pedido do governo para abrir as conversas sobre o programa de resgate de três anos avaliado em até 86 bilhões de euros, o terceiro da Grécia nos últimos cinco anos.

A maioria dos parlamentares conservadores alemães aprovou o início da conversas sobre o terceiro resgate à Grécia em uma votação teste nesta quinta-feira, véspera do pleito na Câmara Baixa do Parlamento, disseram fontes da alta conservadora do Parlamento.

A expectativa é de que o Parlamento dê ao governo de Angela Merkel autorização para abrir as negociações, com o Social-Democrata e alguns partidos da oposição, provavelmente votando "sim".

As linhas foram uma recompensa para o primeiro-ministro gregos, Alexis Tsipras, depois que ele conquistou o apoio do Parlamento no início da quinta-feira para as duras medidas de reformas solicitadas por credores liderados pela Alemanha.

Tsipras ficou enfraquecido por uma revolta em seu partido de esquerda, Syriza, que votou contra as medidas, forçando-o a contar com votos da oposição para passar o pacote. Espera-se que ele reformule seu gabinete para trocar quatro ministros que se rebelaram.   Continuação...

 
Primeira página de vários jornais gregos, no centro de Atenas, na Grécia, nesta quinta-feira. 16/07/2015 REUTERS/Jean-Paul Pelissier