Grécia busca voltar ao normal com reabertura de bancos e pagamentos de dívida

segunda-feira, 20 de julho de 2015 09:59 BRT
 

Por Lefteris Papadimas

ATENAS (Reuters) - A Grécia reabriu seus bancos e deu início ao processo para o pagamento de bilhões de euros devidos a credores internacionais nesta segunda-feira, nos primeiros sinais de um retorno ao normal após o acordo para iniciar conversas sobre um novo pacote de resgate.

Clientes faziam fila do lado de fora das agências bancárias abertas pela primeira vez em três semanas nesta segunda-feira depois que os bancos fecharam para salvar o sistema do colapso sob uma enxurrada de saques.

Aumentos no imposto sobre valor agregado acertados sob os termos do resgate também entraram em vigor, com o IVA sobre alimentos e transporte público saltando a 23 por cento, ante 13 por cento. O mercado acionário também permanecerá fechado até nova ordem.

A reabertura das instituições veio após a aceitação relutante por parte do primeiro-ministro, Alexis Tsipras, do duro pacote de exigências de parceiros europeus para o resgate, mas uma revolta no partido governista Syriza agora ameaça a estabilidade de seu governo e autoridades dizem que novas eleições podem ser realizadas já em setembro ou outubro.

"As coisas estão melhores do que nas últimas semanas. Graças a Deus não voltamos ao dracma", disse a pensionista de 62 anos Maria Papadopoulou. "Vim para pagar as contas e meus impostos hoje. Na semana passada não consegui e tudo isso é muito cansativo para os mais velhos como eu."

Os limites sobre os saques de dinheiro permanecerão, no entanto --em 420 euros por semana no lugar do limite anterior de 60 euros por dia-- e os pagamentos e transferências ao exterior ainda não serão possíveis, uma situação que a chanceler alemã Angela Merkel disse no domingo que "não é uma vida normal" e justifica negociações rápidas sobre um novo resgate, estimado em um total de até 86 bilhões de euros.

"Controles de capital e restrições aos saques continuarão mas estamos entrando em uma nova etapa que todos esperamos que seja de normalidade", disse Louka Katseli, chefe da associação bancária grega.

Os gregos poderão depositar cheques mas não descontar, pagar contas e ter acesso a cofres e a sacar dinheiro sem cartão.   Continuação...

 
Louka Katseli, chefe da associação bancária grega, durante entrevista no Ministério das Finanças, em Atenas.    03/07/2015     REUTERS/Jean-Paul Pelissier