Pintos de granjas dos EUA são enviados até para Brasil para escapar de gripe aviária

segunda-feira, 20 de julho de 2015 12:03 BRT
 

Por Tom Polansek

(Reuters) - Menos de 24 horas depois de um foco de gripe aviária ter sido confirmado em uma fazenda de perus ao norte de Des Moines, no Estado norte-americano de Iowa, Bud Wood acomodou cerca de 3.500 pintos raros em caixas e colocou-os na parte de trás de um caminhão.

Com as delicadas aves de apenas algumas horas de idade, o diretor da empresa incubadora Murray McMurray pegou a estrada na madrugada do sábado e dirigiu até a fazenda de um amigo no Estado do Texas "apenas para deixá-las em um lugar seguro", disse ele.

Criar pintinhos que são valiosa fonte genética para galinhas poedeiras se tornou um desafio num momento em que um surto de gripe aviária em aves domésticas se transformou na pior emergência sanitária na história dos EUA. Alguns foram enviados para lugares tão distantes como o Brasil.

Os reprodutores de Wood incluem algumas com linhas genéticas que datam do início dos anos 1900. Algumas das raças são tão raras, disse ele, que se forem aniquilados pela gripe, "levaria um bom tempo para refazer um grande estoque".

Por isso, quando perus em uma fazenda situada a cerca 13 quilômetros do centro de incubação de Wood, em Webster City, Iowa, foram infectados, ele se esforçou para transferir suas aves mais preciosas.

A gripe aviária matou mais de 48 milhões de frangos e perus desde dezembro. A maioria das perdas afetaram galinhas poedeiras em Iowa, o principal produtor de ovos nos Estados Unidos. Em consequência, os preços de ovos dos EUA subiram.

A Hy-Line International, maior empresa de genética do mundo especializada em galinhas poedeiras, mudou parte de suas aves para outros Estados nos últimos meses, disse Tom Jorgensen, conselheiro geral da empresa. Antes do surto, a Hy-Line mantinha parte de suas aves em apenas um outro Estado, como precaução, disse ele.

Jorgensen se recusou a revelar para onde a Hy-Line enviou suas aves reprodutoras, citando questões de "segurança". A empresa, de propriedade da EW Group GmbH, na Alemanha, está se preparando para levar mais aves para fora de Iowa como medida de precaução, segundo ele explicou.   Continuação...