July 22, 2015 / 5:53 PM / 2 years ago

REEDIÇÃO-Vendas de minério de ferro da Vale são estimadas em alta de 11% no 2º tri

4 Min, DE LEITURA

(Esclarece no título que o crescimento se refere a uma estimativa de analistas, e não que as vendas efetivamente cresceram)

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A mineradora Vale deve registrar novo crescimento das vendas de minério de ferro e pelotas no segundo trimestre, mantendo sua estratégia de defender sua participação de mercado em meio a uma sobreoferta global da commodity e consequente queda de preços.

O relatório de produção da companhia para abril, maio e junho será publicado na quinta-feira, enquanto o balanço financeiro do período está marcado para 30 de julho.

As vendas de minério de ferro e pelotas da Vale devem ter chegado a 82 milhões de toneladas no segundo trimestre, avanço de 10,9 por cento ante o volume do trimestre anterior, segundo média de previsões do Itaú BBA, do Citi e da RBC Capital Markets obtidas pela Reuters. Ante o mesmo período do ano passado, o crescimento seria de 6,5 por cento.

"A Vale vai sobreviver a qualquer ambiente de preço do minério de ferro", afirmaram os analistas do Citi Alexander Hacking e Thiago Ojea, em relatório.

"A gestão da empresa parece estar executando bem seu plano de entrega de projetos residuais e reduzindo custos."

Os analistas do Itaú BBA acreditam que os dados do segundo trimestre já vão mostrar elevação do preço médio do minério de abril e junho em relação as três meses anteriores, contribuindo positivamente para o resultado da empresa.

"Nós esperamos que o preço realizado de minério de ferro suba para 49 dólares/tonelada no segundo trimestre, ante 44 dólares/tonelada no primeiro, refletindo o impacto positivo da precificação provisória e as taxas de frete mais baixas, mais do que compensando a queda recente de preços", afirmaram os analistas do Itaú BBA Marcos Assumpção e Daniel Sasson.

produção Em Alta

O analista da Guide Investimentos Rafael Ohmachi prevê que a produção da Vale apresente avanço ante o primeiro trimestre, em linha com os planos da empresa de aumentar a produção em 10 milhões de toneladas neste ano para 340 milhões, ante a produção registrada em 2014.

Ohmachi afirmou que enquanto grandes rivais da Vale como Rio Tinto e BHP não manifestarem interesse em cortar produção, a mineradora brasileira permanecerá expandindo suas operações.

"A gente não vê interesse muito grande das mineradoras de cortar a produção para elevar os preços do minério, elas estão querendo manter o market share", afirmou Ohmachi.

A corretora RBC Capital Markets estima crescimento de 12 por cento na produção de minério no segundo trimestre ante o primeiro, a 87,6 milhões de toneladas, e avanço de 6 por cento na produção de pelotas, a 15,1 milhões de toneladas.

Os preços do minério de ferro no mercado à vista na China tocaram neste mês o menor nível em dez anos, em meio a uma perspectiva negativa para a economia do país asiático.

Nos últimos dias, os preços apresentaram uma leve recuperação e fecharam nesta quarta-feira cotados a 50,70 dólares por tonelada.

Para minimizar as perdas com os preços baixos, a Vale busca a redução de custos, incluindo a melhoria de eficiência nas suas minas, o que tem sido bem recebido pelo mercado.

"Eles estão substituindo produção de minério com menor qualidade por produtos de alta qualidade", frisou Ohmachi.

A empresa anunciou recentemente que planeja substituir capacidade de produção entre 25 milhões e 30 milhões de toneladas ao ano de minério de ferro, mantendo sua meta de produção para 2015.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below