Premiê grego contém rebelião em seu partido para aprovar projeto de lei sobre resgate

quinta-feira, 23 de julho de 2015 08:14 BRT
 

Por Renee Maltezou e Lefteris Papadimas

ATENAS (Reuters) - O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, conteve a rebelião em seu partido, o Syriza, para conquistar a aprovação parlamentar nesta quinta-feira para o segundo pacote de reformas exigidas para o início das conversas sobre o acordo de resgate financeiro.

Um primeiro conjunto de reformas focado na maior parte em aumentos de impostos e disciplina orçamentária desencadeou uma rebelião no Syriza na semana passada, e só foi aprovado graças a votos de partidos pró-UE da oposição.

O projeto de lei que parlamentares votaram nesta quinta-feira tratava de regras para lidar com bancos falidos e acelerar o sistema judiciário --mais duas condições exigidas pela zona do euro e o FMI para a abertura das negociações sobre o empréstimo de resgate de 86 bilhões de euros.

A legislação foi aprovada com facilidade com o apoio de 230 votos na Câmara de 300 assentos, novamente devido ao apoio da oposição.

No entanto, 36 deputados do Syriza --ou quase um quarto dos 149 parlamentares do partido-- votaram contra o projeto de lei ou abstiveram-se, embora de maneira significativa para Tsipras a rebelião foi menor do que os 39 deputados que o desafiaram na votação da semana passada.

(Reportagem de Karolina Tagaris, Costas Pitas e Angeliki Koutantou)

 
Primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, durante sessão parlamentar, em Atenas.  22/07/2015    REUTERS/Yiannis Kourtoglou