Relator de contas do governo no TCU pede que Congresso vote processos de gestões anteriores

quinta-feira, 23 de julho de 2015 13:05 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O relator do processo sobre as contas do governo de 2014 no Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, fez um apelo nesta quinta-feira para que o Congresso avalie os pareceres do tribunal de gestões anteriores. Em visita aos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Nardes informou ter pedido urgência aos técnicos do TCU na análise das explicações entregues pelo governo na véspera sobre pontos das contas de 2014 questionados pelo TCU. O ministro, no entanto, não deu um prazo para essa avaliação técnica e nem para a conclusão de seu voto.

“E agora também fiz um apelo ao presidente Renan para que sejam votadas contas anteriores, nós temos vários anos sem votação. E depois que nós fizermos a nossa análise (sobre as contas de 2014), enviaremos para cá (para o Congresso)”, disse Nardes a jornalistas ao deixar a residência oficial da presidência do Senado.

Na semana passada, Cunha disse que a partir de agosto vai priorizar a votação das contas de governos anteriores, que deverão ser analisadas em ordem cronológica, do ex-presidente Fernando Collor de Mello ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. [nL2N0ZV0GQ]

O governo entregou na quarta-feira esclarecimentos ao TCU sobre suas contas de 2014, questionadas pelo órgão, que pediu explicações diretamente à Presidência da República.

“Não posso estabelecer prazo, se vai ser na segunda quinzena de agosto, na primeira, temos que analisar. É necessário que tenha prazo para nossos auditores e para até maturar mais a matéria.”

Renan estava reunido com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, quando Nardes chegou para o encontro. O relator se disse à disposição do ministro e de demais autoridades do governo e não descartou a possibilidade de pedir mais explicações.

O ministro do TCU também informou ter determinado o envio de uma cópia da resposta do governo a cada um dos colegas de tribunal e disse ainda que dará um prazo de 5 dias, após a conclusão de seu voto, para que os ministros conheçam seu parecer.

“Queremos o máximo de transparência, por isso estamos mandando para todos antecipadamente. E daremos mais cinco dias para analisarem nossa análise e aí estaremos prontos pra votar. Mas não posso dar prazo porque pode haver dúvidas”, disse Nardes.

“Encontrei com Nelson, por coincidência, disse que estarei à disposição na próxima semana. Estou aberto pra receber qualquer ministro.”   Continuação...

 
Arco-íris aparece sobre o prédio do Congresso Nacional em Brasília. 16/04/20215 REUTERS/Ueslei Marcelino