EXCLUSIVO-Brasil começa a exportar soja por Sergipe, em nova rota aberta por VLI e Multigrain

sexta-feira, 24 de julho de 2015 18:04 BRT
 

(Texto atualizado com dados sobre movimentação de grãos da VLI e esclarecimento de que investimento foi feito pela Multigrain e é operado pela VLI)

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil começou a exportar soja não transgênica por um terminal na costa de Sergipe, em uma rota inédita aberta pela operadora logística VLI e pela trading Multigrain, com dois navios deixando o porto do Nordeste recentemente, mostram dados de escalas analisados pela Reuters.

A operação por Sergipe se inicia em um ano de embarques recordes do grão, o principal produto da pauta de exportação do agronegócio do país, e de diversificação dos terminais em uso por grandes empresas exportadoras, que buscam evitar gargalos logísticos no Sul e Sudeste.

Além disso, o porto sergipano garante que a exportação é de soja convencional, que costuma ter um prêmio sobre o produto transgênico, que ocupa a maior parte da área plantada no Brasil.

"Cerca de dois anos atrás começamos a discutir um projeto com a Multigrain para escoamento de soja não transgênica do oeste baiano", revelou à Reuters o diretor comercial da VLI Fabiano Lorenzi.

A VLI faz a operação, enquanto a Multigrain detém exclusividade na originação da soja exportada pelo terminal, explicou o executivo.

Um terceiro navio graneleiro está ancorado na área do terminal Barra dos Coqueiros, próximo a Aracaju, o único em Sergipe, para carregamento da soja, segundo dados de agências marítimas e do rastreamento de embarcações do serviço Eikon, da Thomson Reuters.

O primeiro navio partiu em maio, levando 28,7 mil toneladas de soja para a Rússia adquiridas pela Sodrugestvo. A segunda carga, de 26 mil toneladas, foi exportada em julho para a Mitsui, no Japão.   Continuação...