Ibovespa sofre 7a queda seguida afetado por mercado externo negativo e Petrobras

segunda-feira, 27 de julho de 2015 17:38 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em queda pelo sétimo pregão consecutivo nesta segunda-feira, maior série de perdas desde fevereiro de 2013, afetado pelo viés negativo no mercado acionário global e com o declínio dos preços do petróleo pressionando as ações da Petrobras.

O noticiário corporativo local também esteve sob os holofotes, com Braskem despencando após denúncia do Ministério Público Federal (MPF) envolvendo contrato de nafta da petroquímica com a Petrobras, enquanto Gol disparou após perspectivas de recuperação nos preços de passagens.

O Ibovespa caiu 1,04 por cento, a 48.735 pontos, menor patamar desde 13 de março deste ano. Em dólar, o principal índice acionário brasileiro manteve-se em nível próximo de 2008, fechando abaixo dos 15 mil pontos. O giro financeiro totalizou 5,9 bilhões de reais.

No exterior, preocupações sobre a economia na China após novo tombo nas bolsas chinesas contaminou pregões na Europa e em Wall Street. Com dados norte-americanos também em pauta, o S&P 500 cedeu 0,58 por cento.

O Credit Suisse destacou em nota a clientes entre os principais motivos para a deterioração uma eventual interrupção nas compras de blue chips, o lucro do setor industrial para o mês de junho abaixo do esperado e uma queda nas margens de garantia sugerindo redução de posições alavancadas.

Entre as commodities, o preço do minério de ferro fechou em alta no mercado físico da China nesta segunda-feira acompanhando ganhos do aço, mas os contratos do petróleo atingiram a mínima em quatro meses.

Ainda no front doméstico, também pesaram na bolsa paulista declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), durante em evento em São Paulo, que reforçaram apreensões sobre a tensão no ambiente político.

Cunha disse que a nova meta de superávit primário anunciada pelo governo federal não será cumprida. Ele ainda condicionou a votação na Câmara do projeto sobre repatriação de capitais, apontado pelo governo como essencial para se atingir o novo objetivo fiscal, a um envio de uma proposta sobre o tema pelo Executivo.   Continuação...