Indiana que comprou ativos de carvão da Rio Tinto em Moçambique visa expansão

segunda-feira, 27 de julho de 2015 18:24 BRT
 

MAPUTO (Reuters) - Um ano após a Rio Tinto desistir de seu empreendimento de carvão em Moçambique, a empresa indiana que comprou os ativos está planejando uma ambiciosa expansão.

A mina Benga, adquirida da Rio Tinto pela International Coal Ventures Private Limited (ICVL), tem uma capacidade de produção atual de 5,3 milhões de toneladas por ano, mas a meta é de 13 milhões de toneladas em cinco anos, disse o diretor da ICVL Moçambique, Nirmal Chandra Jha, nesta segunda-feira.

Jha, falando em uma conferência sobre carvão em Moçambique, disse que a mina está atualmente produzindo 4 milhões de toneladas por ano e menos da metade do total tem qualidade para exportação.

"Nós esperamos que, em cinco anos, a infraestrutura também melhorará. Esta é uma grande esperança", disse Jha à Reuters nos bastidores da conferência.

Os desafios de infraestrutura foram uma grande razão por trás da decisão da Rio Tinto de deixar Moçambique, que tem algumas das maiores fontes inexploradas de carvão no mundo, mas ainda está se recuperando de uma guerra civil que acabou duas décadas atrás.

Ainda há desafios relacionados aos preços baixos, obstáculos para investimentos e expansões no atual ambiente.

Mas a ICVL foi criada pelo governo indiano para adquirir e desenvolver ativos de carvão para as necessidades de estatais como a Steel Authority of India e, portanto, a empresa tem potenciais fontes de financiamento.

(Por Ed Stoddard)