Grandes exportadores de carnes do Brasil almejam abertura de mais mercados

quarta-feira, 29 de julho de 2015 15:56 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As carnes produzidas no Brasil ainda têm pouco acesso a grandes mercados consumidores, apesar de aberturas recentes concretizadas por autoridades brasileiras, disseram nesta quarta-feira os dois principais executivos do setor no país.

"Estamos dando passos no caminho certo, mas ainda acessamos muito pouco os mercados consumidores", disse o presidente-executivo da JBS, maior produtora global de carnes, Wesley Batista.

Ao lado dele, no palco de uma conferência do setor realizada em São Paulo, o presidente da BRF, maior exportadora de carne de frango do Brasil, Pedro Faria, tinha discurso semelhante.

"O crescimento (de consumo) vai acontecer mais em mercados onde o Brasil ainda não tem acesso", disse o executivo.

As declarações ocorrem em um momento em que o Ministério da Agricultura comemora a abertura ou reabertura de diversos mercados, principalmente para carnes bovina e de frango.

Malásia, Paquistão e Mianmar passaram a aceitar importações de carne de frango do Brasil este ano.

Contudo, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), as liberações levaram tempo demais: seis anos no caso da Malásia e sete anos no caso do Paquistão.

O Brasil é exportador habilitado para 158 países atualmente, mas ainda há uns poucos e relevantes destinos que ainda não compram carne de frango brasileira.

"Em carne de aves a gente chegou num limite, e agora é só pedreira", disse o presidente da ABPA, Francisco Turra, referindo-se a mercados onde a negociação tem se mostrado bastante complicada nos últimos anos.   Continuação...