Baixa liquidez ajuda Ibovespa a seguir com menor composição desde 2010

quarta-feira, 29 de julho de 2015 17:22 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O próximo rebalanceamento do Ibovespa deve manter o índice de referência da bolsa paulista com o menor número de ações em sua composição desde 2010, em um ambiente de menor liquidez no mercado acionário local.

De acordo com o estrategista do Citibank, Fernando Siqueira, houve uma diminuição de liquidez nos mercados emergentes em geral, com o movimento no Brasil afetado ainda por perspectivas de crescimento econômico mais fraco e situação política difícil.

"E como o Ibovespa é baseado em liquidez, quando há uma redução a carteira fica mais concentrada", disse.

A primeira prévia de três para o indicador que irá vigorar a partir de 8 de setembro será divulgada pela BM&FBovespa em 3 de agosto. As outras duas preliminares serão conhecidas em 17 de agosto e 4 de setembro.

Três de cinco avaliações do mercado compiladas pela Reuters estimam que o Ibovespa seguirá com 66 ações - mesmo número da atual carteira, que fica em vigor até 4 de setembro. Das duas restantes, uma prevê aumento para 67 ativos e a outra espera queda para 65 papéis. Este ano começou com 68 ativos.

A última vez que a composição do Ibovespa teve menos ações que o patamar atual foi no quadrimestre iniciado em janeiro de 2010, antes da mudança da metodologia do índice, com 63 ações. Na carteira seguinte, em maio, o número subiu para 66 ativos. Em setembro de 2013, quando a Bovespa anunciou alterações, a carteira somava 73 papéis.

Dados de volume na Bovespa corroboram a percepção sobre menor volume de negócios nos últimos meses.

O giro médio financeiro diário em maio somou 7,2 bilhões de reais, caiu a 6,3 bilhões em junho e em julho, até o dia 27, estava em 5,5 bilhões de reais. A média de negócios enquanto isso caiu de cerca de 946 mil por dia para 800 mil.   Continuação...