Câmbio é favorável, mas exportadores ainda enfrentam dificuldades, diz Monteiro

quarta-feira, 29 de julho de 2015 19:04 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - As empresas exportadoras em atividade no Brasil contam atualmente com patamar mais amigável do câmbio, mas continuam a enfrentar problemas com o baixo preço das commodities e a desaceleração do comércio internacional, disse nesta quarta-feira o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto.

"O câmbio é flutuante por definição e não pode ser artificialmente manipulado, mas em nossa avaliação teremos um câmbio amigável ao setor exportador e alinhado com as necessidades do comércio exterior brasileiro", disse o ministro a jornalistas após encontro mantido com empresários em Brasília e do qual participou também o ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

O dólar encerrou esta quarta-feira com queda de 1,18 por cento, em ajuste após cinco sessões consecutivas de altas, cotado a 3,3293 reais. [L1N1092WN]

Sobre o desempenho das exportações, Monteiro disse que o Brasil está neste ano ampliando os embarques em comparação ao ano passado, mas em termos de volume, e não de receita. E chamou a atenção para o forte peso da desvalorização das commodites agrícolas e minerais nas operações de comércio exterior do país.

"Em volume físico estamos exportando mais este ano do que exportamos no ano passado. O problema é o preço. Se tivéssemos em 2015 os preços que vigoraram em 2014 teríamos 18 bilhões de dólares a mais", afirmou, citando minério de ferro, itens do complexo soja e petróleo.

Pesa ainda, segundo o ministro, o comércio internacional fraco, que em anos anteriores avançava a taxas de dois dígitos e que cuja expansão atualmente tem sido menor que 3 por cento.

No acumulado do ano até a semana passada, as exportações brasileiras somaram 108,980 bilhões de dólares, com redução de 15,7 por cento pela média diária em comparação a igual período do ano passado.

(Reportagem de Luciana Otoni)