Índice acionário asiático ruma para queda em julho; China tem maior recuo mensal em 6 anos

sexta-feira, 31 de julho de 2015 07:14 BRT
 

Por Nichola Saminather e Lisa Twaronite

CINGAPURA/TÓQUIO (Reuters) - O índice das principais ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão avançava nesta sexta-feira, mas ainda caminhava para fechar julho em queda, pressionado pela bolsa chinesa, que marcou o maior recuo mensal em seis anos.

Às 7h00 (horário de Brasília), o índice MSCI de ações regionais subia 0,29 por cento, mas acumulava perdas de cerca de 5,9 por cento para o mês.

O índice de Xangai caiu 1,13 por cento, apesar de uma série de medidas de apoio adotadas pelo governo.

O órgão regulador dos mercados de capitais chineses disse que está investigando o impacto de operações automatizadas no mercado e que restringiu 24 contas em que foram detectadas ofertas anormais por ações ou cancelamentos de ofertas.

O índice japonês Nikkei encerrou em alta, levando os ganhos em julho para 1,4 por cento e tornando-se o único mercado asiático, excluindo Austrália e Nova Zelândia, a encerrar o mês em terreno positivo.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,30 por cento, a 20.585 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,56 por cento, a 24.636 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSE perdeu 1,13 por cento, a 3.664 pontos.   Continuação...