Cteep espera indenização de R$3,7 bi no ciclo 2016-2017; ação sobe

sexta-feira, 31 de julho de 2015 11:03 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A transmissora de energia elétrica Cteep espera receber a partir de 2016 uma indenização a que tem direito por ter renovado o contrato de concessão de parte de seus ativos em 2013, estimada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 3,7 bilhões de reais, disse o presidente da empresa, Reynaldo Passanezi, em teleconferência nesta sexta-feira.

As ações da Cteep passaram a operar em alta após a fala do executivo, e subiam quase 2 por cento às 10h55.

Segundo Passanezi, a Aneel defenderá junto ao Ministério de Minas e Energia que o pagamento da indenização seja feito através das tarifas de energia, com aumento da receita que a empresa recebe pela operação dos ativos a partir do ciclo 2016-2017.

O presidente disse que uma definição sobre a indenização poderia permitir o retorno da Cteep aos leilões de novas linhas de transmissão.

"Não é que não queiramos participar. Não temos condição financeira de participar... Decidido isso, obviamente, voltaremos a ter condições financeiras e aí voltaremos a analisar", afirmou Passanezi.

O executivo, porém, ressaltou que a Cteep estima sua indenização em cerca de 5,1 bilhões de reais, e pleiteará o valor integral junto à Aneel, que ainda não levou a questão para discussão em reunião de diretoria.

"Entregamos nossa defesa no final de maio ao diretor relator, e acredito que não deve demorar muito essa manifestação", disse Passanezi.

O executivo comentou também que a Aneel promoveu uma melhoria nas condições dos leilões de transmissão, com ampliação dos prazos previstos para licenciamento ambiental e da taxa de retorno dos empreendimentos, o que poderia facilitar a volta às disputas após o fim do impasse sobre a indenização.

(Por Luciano Costa; Edição de Gustavo Bonato)