Linha de transmissão da usina de Teles Pires deve operar no final de setembro

segunda-feira, 3 de agosto de 2015 14:06 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A linha de transmissão que escoará a energia produzida pela hidrelétrica de Teles Pires, no Mato Grosso, deve estar pronta apenas ao final de setembro, de acordo com previsão da empresa responsável pela obra, a Matrinchã, uma sociedade entre a chinesa State Grid e a estatal paranaense Copel.

"O cronograma teve de ser reajustado e os esforços da Matrinchã visam possibilitar o início de operação em 28 de setembro de 2015", informou a companhia à Reuters, por meio da assessoria de imprensa.

A usina de Teles Pires, com 1.820 megawatts em capacidade instalada, está pronta desde o início do ano, mas ainda não pôde gerar eletricidade porque aguarda a conclusão do sistema de transmissão.

Em junho, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, havia previsto que a hidrelétrica poderia começar a gerar em 1º de agosto e estar totalmente operacional em 1º de outubro.

A Matrichã afirma que o cronograma do empreendimento foi impactado por fatores alheios a sua responsabilidade, "como questões arqueológicas, embargos de posseiros e a localização do reservatório da Usina Sinop, que impediram o desenvolvimento do trabalho em trechos extensos, por períodos longos, exigindo alterações significativas no traçado da linha".

State Grid e Copel ganharam a licitação para construir e operar o sistema de transmissão do Teles Pires em 2012. O empreendimento envolve mil quilômetros em linhas em circuito duplo que atravessam onze municípios de Mato Grosso.

Já a hidrelétrica de Teles Pires, licitada em 2010, teve a concessão arrematada por um grupo formado por Neoenergia, Eletrosul e Furnas, ambas subsidiárias da Eletrobras, e Odebrecht.

(Por Luciano Costa)