Marcopolo tem queda no lucro do 2o trimestre, vê recuperação em 2016

segunda-feira, 3 de agosto de 2015 18:45 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O lucro líquido da fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo caiu quase um terço no segundo trimestre sobre o mesmo período do ano passado, impactado pela forte retração do mercado de veículos brasileiro que obrigou a companhia a cortar produção no período no país em 41 por cento.

A companhia, maior do setor no país, teve lucro líquido de 37,1 milhões de reais no segundo trimestre, uma queda de 26,1 por cento sobre o resultado obtido um ano antes. A produção no Brasil somou 2.142 unidades ante 3.641 no segundo trimestre de 2014.

O que ajudou a companhia foram as receitas com exportações e das operações da Marcopolo fora do Brasil. Essa linha cresceu 16,5 por cento no segundo trimestre sobre um ano antes e foi maiores do que o faturamento obtido pela empresa no país, a 330 milhões de reais ante 306,3 milhões no Brasil.

O quadro do mercado interno deve continuar negativo nos próximos trimestres, em meio a expectativas de entidades que representam o setor, Fenabrave (distribuidores) e Anfavea (montadoras), de queda nas vendas de ônibus este ano.

Nesta segunda-feira, a Fenabrave informou queda de cerca de 35 por cento nas vendas de ônibus em julho sobre o mesmo mês do ano passado, acumulando recuo nos sete primeiros meses do ano de 26,5 por cento.

Segundo a Marcopolo, a demanda por ônibus urbanos no Brasil segue abaixo do "nível normal. Entretanto, as licitações municipais em algumas cidades do país, como São Paulo e Porto Alegre, a proximidade das eleições municipais de 2016 e os repasses de tarifas devem destravar o setor a partir do ano que vem".

No segmento de ônibus rodoviários, a empresa também espera um destravamento do mercado "nos próximos trimestres", depois que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou regras para a oferta de linhas interestaduais e internacionais que limitam a idade máxima dos veículos que operam essas linhas em 10 anos e a idade média em cinco anos.

Já no mercado de ônibus menores a Marcopolo afirmou no balanço que a sua divisão Volare tende a aumentar o volume de exportações diante do mercado interno restrito por cortes de orçamentos federais e pela conjuntura econômica do Brasil.

A Marcopolo afirmou que espera receber do governo federal ainda no terceiro trimestre 160,7 milhões de reais relativos a vendas de veículos escolares para o programa Caminho da Escola.   Continuação...