BR Properties foca em venda de ativos e vê conjuntura negativa entre locatários

terça-feira, 4 de agosto de 2015 14:01 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A companhia de gestão de ativos imobiliários BR Properties está focando em venda de ativos como forma de gerar maiores ganhos aos acionistas em um momento em que a conjuntura entre os locatários se mostra negativa, afirmou o presidente da companhia, Claudio Bruni, nesta terça-feira.

"Achamos que hoje temos um caminho que pode indicar uma geração de riqueza maior para o acionista na venda (de imóveis). Mas temos um olhar estrábico (...) olhamos a venda e a compra", afirmou o executivo durante teleconferência com analistas.

A empresa divulgou na noite da véspera queda de 81 por cento no lucro líquido do segundo trimestre sobre um ano antes e mais cedo nesta terça-feira anunciou acordo para venda de 10 ativos imobiliários por 1,065 bilhão de reais.

A companhia não informou detalhes sobre o acordo, mas Bruni afirmou que a BR Properties ficou "extremamente satisfeita" e que se houve algum desconto no preço dos imóveis, eles foram "mínimos em relação aos valores que estes imóveis estão registrados em nossa contabilidade".

As ações da empresa tinham alta 0,54 por cento às 13h55, enquanto o Ibovespa tinha oscilação negativa de 0,05 por cento.

Segundo Bruni, o aumento na taxa de vacância de imóveis no segundo trimestre ocorreu mais concentrado no Rio de Janeiro por conta de locatários do setor de óleo e gás e outros atingidos pelos desdobramentos da Operação Lava Jato, investigação sobre denúncias de corrupção na Petrobras.

A taxa de vacância física em imóveis de escritórios da BR Properties subiu no segundo trimestre para 14,4 por cento ante 9,6 por cento no mesmo período do ano passado. Na área industrial, o índice subiu de 1,2 para 2,3 por cento.

"Tivemos aumento de vacância muito concentrado no Rio de Janeiro, imóveis que não foram renovados ou foram rescindidos antecipadamente (...) Não estamos vendo isso acontecer no restante da carteira", disse Bruni.

Porém, diante da conjuntura de baixa confiança de empresários e consumidores, o executivo afirmou que a BR Properties não deve apresentar nos próximos trimestres uma performance de resultados "brilhante". "Estamos fazendo esforço muito grande para conseguirmos bons resultados. Mas a conjuntura está muito negativa e as expectativas das empresas estão muito prejudicada", disse Bruni.

(Por Alberto Alerigi Jr.)