Usiminas amplia prejuízo no ano e faz baixa contábil por preço do minério

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 09:08 BRT
 

Por Luciana Bruno

SÃO PAULO (Reuters) - A siderúrgica Usiminas ampliou no segundo trimestre em mais de três vezes o prejuízo dos três primeiros meses do ano, afetada pela crise do mercado de aço e por baixa contábil na unidade de mineração por conta de piora nas expectativas sobre preços futuros do minério de ferro.

A empresa teve prejuízo líquido de 781 milhões de reais no período de abril a junho, ante resultado positivo de 129 milhões de reais no mesmo período de 2014 e prejuízo de 235 milhões no primeiro quarto deste ano.

A companhia reconheceu no balanço redução de 985 milhões de reais no valor de seus direitos minerários, sendo 868 milhões de reais na Mineração Usiminas e 117 milhões de reais na Usiminas.

"O valor em uso na unidade de mineração foi atualizado para refletir as melhores estimativas da administração sobre o preço futuro do minério, com base em projeções de mercado", disse a empresa. "Os preços projetados para o minério de ferro foram entre 57 dólares a tonelada e 74 dólares", acrescentou a empresa.

Em seu relatório de resultados, a Usiminas citou a queda significativa dos preços do minério de ferro desde o início de 2015, devido à diminuição das expectativas em relação ao crescimento global, decorrente da menor atividade na China, aliado ao aumento da capacidade de produção da Austrália.

Os preços do minério de ferro acumulam queda de cerca de 30 por cento desde o início do ano, indo de 71,2 dólares a tonelada no fim de 2014 para 56,30 dólares nesta quinta-feira, segundo o índice do mercado à vista na China.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Usiminas ficou negativo em 755 milhões de reais, ante resultado positivo de 538 milhões no segundo trimestre do ano passado, também afetado pela baixa contábil. Em termos ajustados, o Ebitda foi de 227 milhões de reais no segundo trimestre, queda anual de quase 59 por cento.

A receita líquida somou 2,7 bilhões de reais, queda de 13 por cento ano contra ano, sendo que o mercado interno representou 76 por cento do total, diante de uma participação de 88 por cento um ano antes.   Continuação...