Cidade do aço da China sente impacto de regulação da poluição

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 12:28 BRT
 

TANGSHAN (Reuters) - Lutando com a demanda fraca e encarando novas regras para diminuir a poluição, algumas firmas na principal cidade chinesa produtora de aço diminuíram suas produções ou até mesmo fecharam completamente, sustentando os preços locais do aço após mínimas de 20 anos.

A China está usando uma regulamentação ambiental mais dura para ajudar a combater o excesso de capacidade de produção que derrubou os preços e sobrecarregou o setor --o maior do mundo-- com dívidas debilitantes.

Tangshan, que fica a 200 quilômetros a leste de Pequim e produz mais aço por ano do que os Estados Unidos inteiro, tem estado na linha de frente de campanhas para cortar a emissão de fumaça e atacar a super capacidade.

A cidade comprometeu-se a reduzir sua capacidade anual de produção de aço bruto em 28 milhões de toneladas de 2013 até 2017, cerca de um quinto do total, e agora suas firmas estão sendo forçadas a realizar modernizações caras.

"Há tantas usinas que estão tendo que cortar ou parar a produção", disse Zhou Junjia, um gerente de vendas da Baifeng Iron and Steel Corporation, notando que quatro siderúrgicas privadas nas proximidades foram forçadas a fechar.

"Em Tangshan, há usinas demais vendendo produtos de aço. Nós viajamos até consumidores e grandes mercados de aço em outras grandes cidades chinesas e ninguém está comprando", acrescentou Zhou.

(David Stanway)