Maior aporte em obras no Brasil prejudica fluxo de caixa da espanhola Abengoa

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 14:09 BRT
 

MADRID (Reuters) - Recentes mudanças nas condições de financiamento de projetos no Brasil forçaram o grupo espanhol de engenharia e energia Abengoa a cortar drasticamente as previsões de fluxo de caixa para 2015, ante a necessidade de aportar mais capital próprio para a construção de linhas de transmissão no país.

A Abengoa afirma que a forte revisão no fluxo de caixa deve-se fundamentalmente à necessidade de recursos no Brasil, onde os investimentos com capital próprio previstos para os projetos de transmissão saltaram para 1 bilhão de euros ao final do semestre, contra 262 milhões de euros estimados em março.

Junto com as novas previsões financeiras, a Abengoa também anunciou em 31 de julho um reforço em seu programa de desinvestimentos e um plano de controle de gastos para restabelecer a liquidez absorvida pelo Brasil.

A revisão de metas causada pelos negócios no país causou polêmica principalmente porque a Abengoa havia vendido ações próprias, que mantinha em tesouraria, por cerca de 100 milhões de euros, a um preço de 2,8 euros por ação, pouco antes de anunciar um aumento de capital e a revisão de projeções, que levaram a ação a perder metade do valor.

(Por Sarah Morris)