Importadores de soja de Shandong, na China, suspendem negociações

sexta-feira, 7 de agosto de 2015 15:25 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Importadores de soja na província de Shandong, no norte da China, suspenderam a comercialização em meio à repressão das vendas ilegais de variedades baratas grãos transgênicos para empresas de alimentos, disse um funcionário.

Autoridades sanitárias investigam vendas de soja no mês passado em portos de Shandong, que serve o maior centro de distribuição para soja importada, disse o Centro Nacional de Informações de Grãos e Óleos da China (Cngoic, na sigla em inglês) em um relatório nesta sexta-feira.

"Vendas e atividades de distribuição dos portos de Shandong foram suspensas desde a semana passada, o que previne qualquer soja importada de chegar ao setor de alimentos, beneficiando a demanda por soja doméstica," disse o centro.

A China proíbe o uso de soja geneticamente modificada na indústria alimentícia para produtos que incluem molho de soja e tofu, mas permite as importações para esmagamento, no qual os grãos são processados e se tornam farelo para rações animais e óleo de soja para cozinha.

A suspensão autoimposta de atividades de negociação pelos importadores não afeta a habilidade dos esmagadores da região de importar soja.

Uma grande diferença de preços entre importações e soja não transgênica nacional levou ao uso ilegal de grãos geneticamente modificados por empresas em busca de cortes de custo, disse o Cngoic.

(Por Niu Shuping e David Stanway)