Braskem diz que alegação de prejuízo de R$6 bi à Petrobras não se sustenta

sexta-feira, 7 de agosto de 2015 15:50 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente da Braskem, Carlos Fadigas, rebateu a alegação de que o contrato de nafta com a Petrobras de 2009 e 2014 deu prejuízo de 6 bilhões de reais à petroleira.

"Não vejo nenhuma forma de sustentar qualquer número parecido com 6 bilhões de reais. Não existe nenhuma ação contra a Braskem nesse sentido nesse exato momento", disse Fadigas nesta sexta-feira em teleconferência com analistas.

O executivo se referiu à alegação do Ministério Público Federal, em julho, em meio a denúncias contra executivos da Odebrecht, controladora da Braskem, e da Andrade Gutierrez no âmbito da Operação Lava Jato. A suspeita é que a estatal vendeu nafta à Braskem por valor abaixo do de mercado. Isso provocou intensa oscilação nos papéis da petroquímica.

"No que diz respeito à Braskem, isso ainda está no contexto de ações criminais contra terceiros", disse Fadigas.

Segundo a Braskem, o suposto prejuízo resultou da decisão da Petrobras de usar nafta contratada pela indústria petroquímica para aumentar a produção de gasolina e atender ao aumento do consumo do combustível no Brasil. Para respeitar os contratos, depois teve que comprar nafta importada mais cara.

A Braskem está discutindo com a estatal a renovação do acordo, que está em seu terceiro aditivo de seis meses. O aditivo atual vigora até o fim de agosto.

ESTRATÉGIA

Apesar do desaquecimento da demanda por resinas no mercado interno por conta da desaceleração da economia, a Braskem disse não ter planos de reduzir a capacidade, exportando o restante no terceiro trimestre.   Continuação...