Cerca de 5,2 mil funcionários da GM em São José dos Campos entram em greve

segunda-feira, 10 de agosto de 2015 08:59 BRT
 

(Reuters) - Cerca de 5,2 mil funcionários da fábrica da montadora General Motors em São José dos Campos iniciaram greve por tempo indeterminado após demissão de funcionários anunciada no fim de semana, informou nesta segunda-feira o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região.

A greve foi decidida em assembleia nesta segunda-feira. Uma nova assembleia está agendada para a manhã de terça-feira, de acordo com a assessoria de imprensa do sindicato. O objetivo é obter a reversão das demissões e a abertura de negociações entre sindicato e montadora.

Ainda não há informações sobre o número de funcionários demitidos. Consultada, a GM não se pronunciou até o momento sobre a greve.

Segundo o sindicato, cerca de 250 trabalhadores da unidade de São José dos Campos reuniram-se em assembleia no domingo, após diversos deles terem recebido telegramas em suas casas com o aviso de que estavam demitidos.

Os cortes em São José dos Campos acontecem um mês depois de a montadora ter demitido cerca de 500 trabalhadores na fábrica de São Caetano do Sul, disse o sindicato.

A entidade também informou que nessa segunda-feira retornam ao trabalho 750 trabalhadores que estavam em lay-off, resultado de uma mobilização ocorrida em fevereiro, quando a GM havia indicado a intenção de realizar 798 demissões.

A GM de São José dos Campos produz os modelos S10 e Trailblazer, além de motores, transmissão e kits para exportação, informou o sindicato.

(Por Luciana Bruno)

 
Fábrica da GM em São José dos Campos. 23/02/2015 REUTERS/Roosevelt Cassio