Moagem de cana do centro-sul se recupera, diz Unica; vendas de etanol disparam

segunda-feira, 10 de agosto de 2015 14:49 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região centro-sul do Brasil atingiu 49,44 milhões de toneladas na segunda metade de julho, alta de 37,35 por cento frente à mesma quinzena de 2014, com o tempo mais seco favorecendo a moagem da matéria-prima do açúcar e do etanol, afirmou nesta segunda-feira a Unica, entidade que representa o setor.

A força da moagem de cana na última quinzena de julho deixou o total moído no acumulado da safra 2015/16 praticamente em linha com o verificado na mesma época da temporada 2014/15, após um atraso nos trabalhos por conta de chuvas.

Até 1º de agosto, o volume processado de cana na safra 2015/16 alcançou 279,37 milhões de toneladas, com as usinas destinando quase 60 por cento do total para a produção de etanol, cujas vendas estão aquecidas no mercado interno.

"Ao contrário do cenário observado no início de julho, o clima mais seco favoreceu a colheita na última metade do mês e permitiu uma sensível recuperação do ritmo de moagem, que estava atrasado em boa parte das usinas", disse o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues, em nota.

A produção de açúcar somou 2,79 milhões de toneladas na última metade do mês, alta de 24,7 por cento ante o mesmo período da safra passada. Já o volume produzido de etanol alcançou 2,19 bilhões de litros (891,4 milhões de litros de etanol anidro e 1,3 bilhão de litros de etanol hidratado), aumento de 37,1 por cento na mesma comparação.

Ainda que a moagem tenha se recuperado na última quinzena de julho, a produção de açúcar tem uma queda de mais de 10 por cento no acumulado da safra, para 13,5 milhões de toneladas, com usinas privilegiando a produção de etanol.

"Apesar da moagem da atual safra estar emparelhada com aquela do último ano, a produção de açúcar segue defasada em mais de 1,5 milhão de toneladas. Atualmente, o comportamento da produção tem sido impulsionado pela necessidade de gerar caixa por boa parte das unidades, com prioridade para a fabricação de etanol hidratado", disse Padua.

A fabricação do biocombustível desde o início da safra 2015/2016 até 1º de agosto totalizou 12,17 bilhões de litros, dos quais 4,28 bilhões de litros referem-se ao anidro e 7,89 bilhões de litros ao etanol hidratado.

A produção total de etanol na safra cresceu 2,6 por cento ante 14/15, um aumento limitado pela queda na produção de etanol anidro (misturado à gasolina), com recuo de 16,3 por cento. Já a produção de hidratado (usado nos veículos flex) cresceu 16,9 por cento na comparação anual, para acompanhar o crescimento do consumo.   Continuação...