Economia dos EUA está próxima do normal e Fed está "perto" de elevar juros, diz Lockhart

segunda-feira, 10 de agosto de 2015 17:26 BRT
 

ATLANTA (Reuters) - As condições econômicas nos Estados Unidos voltaram em grande parte ao normal e uma decisão do Federal Reserve, banco central norte-americano, de aumentar as taxas de juros deve vir em breve, afirmou o presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart.

"Eu acho que o ponto de elevar está próximo", disse Lockhart em discurso no Atlanta Press Club. "A economia tem feito grandes avanços e está se aproximando de um nível normal aceitável...as condições não são mais extraordinárias", acrescentou.

Mais tarde, ele disse a jornalistas que estava "muito disposto" a um aumento dos juros na reunião de política monetária de setembro, mas enfatizou que a trajetória de alta subsequente deve ser gradual.

"Eu continuo muito disposto a que setembro seja uma data possível para a decisão de elevar juros", disse. "Na minha mente, gradual significará algo menos frequente do que toda reunião."

Seus comentários, vindo após observações semelhantes por outros membros do Fed, sinalizaram o crescente reconhecimento do banco central norte-americano de que o seu objetivo de pleno emprego pode estar próximo, enquanto o progresso na elevação da inflação ao patamar de 2 por cento constante permanece indefinida.

A força do mercado de trabalho parece ter pavimentado o caminho para uma subida das taxas no próximo mês, mas continua indefinido se a inflação irá eventualmente se recuperar.

Em entrevista à TV Bloomberg na segunda-feira, o vice-presidente do Fed, Stanley Fischer, disse que a economia dos EUA tinha "quase pleno emprego, mas inflação muito baixa." Fischer acrescentou que os juros não devem ficar tão baixos "para sempre".

Enquanto os preços do petróleo têm tornado difícil medir a inflação, Lockhart disse estar confiante de que a inflação irá subir na direção da meta do banco central nos próximos meses enquanto a economia continua se fortalecendo.

"Comparado com o início do ano, sabemos muito mais e podemos arquivar algumas preocupações", disse Lockhart.

(Reportagem de Howard Schneider)