EXCLUSIVO-GE amplia em mais de 70% capacidade de produção em turbinas eólicas no Brasil

segunda-feira, 10 de agosto de 2015 18:37 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - De olho no potencial de energia eólica do Brasil, a norte-americana GE está lançando turbinas mais potentes no país, em um momento em que também amplia sua produção de máquinas para o setor, o que aumentará a capacidade da fábrica instalada em Campinas (SP) em mais de 70 por cento.

A GE, líder de mercado em equipamentos de energia eólica no Brasil, projeta com as expansões poder ofertar máquinas com até 1,2 gigawatt em capacidade de geração por ano, ante 680 megawatts dos níveis atuais, adiantaram executivos da empresa à Reuters.

As novas turbinas a serem comercializadas pela empresa terão 2,3 mewawatts e 2,4 megawatts em potência, contra 1,7 megawatt das vendidas até então, enquanto a capacidade da fábrica da empresa em Campinas, que produz "hubs" e "nacelles" eólicas, passará de 400 para 500 equipamentos por ano.

"O compromisso da GE com o mercado eólico brasileiro é de longo prazo", afirmou o diretor comercial para energias renováveis da GE na América Latina, Sergio Souza.

Segundo ele, as usinas a vento estão ocupando um espaço na matriz elétrica brasileira que antes pertencia às hidrelétricas, o que permite vislumbrar muitas oportunidades de negócios por vir.

"Enxergamos que, até a gente chegar no limite físico de inserção de energia eólica, para que não se tenha efeitos indesejáveis da intermitência (natural dessa fonte), ela vai ocupar espaço e crescer. Serão pelo menos dez anos de crescimento forte no país", disse Souza.

Neste mês, o país alcançou a marca de 7 gigawatts em usinas eólicas instaladas, o que representa metade da potência da hidrelétrica binacional de Itaipu. A Abeeólica, associação que reúne investidores do setor, aposta que esse número pode chegar a 27 gigawatts até 2023.

Com o grande interesse dos investidores, a fonte eólica liderou, ainda, a lista de empreendimentos que participarão do próximo leilão de energia, que acontece em 21 de agosto, com 8,3 gigawatts em usinas, quase 90 por cento do total habilitado.   Continuação...